3 prejuízos que a venda das refinarias da Petrobras causariam à população

A Petrobras foi criada estatal para desenvolver o Brasil por meio dos recursos gerados pelo petróleo.

Dado o tamanho continental do país, o parque de refino da companhia foi planejado para garantir abastecimento às regiões mais distantes dos centros econômicos, pelo menor custo possível, promovendo o progresso regional de forma complementar. Isto é, as refinarias não competem entre si, pois foram instaladas para trabalharem juntas pelo crescimento do Brasil.

No entanto, o Governo Federal ignora esse fato e segue no intento de desmanchar a empresa, mesmo em meio à pandemia do novo Coronavírus – quando é muito útil para o país manter a estatal e proteger a economia nacional.

Das 13 refinarias da Petrobras, oito foram colocadas à venda, em um acordo entre a atual gestão da companhia e o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

 

Confira abaixo três prejuízos que essas privatizações causarão à população:

  1. Desabastecimento

O objetivo principal de toda empresa privada é o lucro. Consequentemente, as áreas remotas do país seriam desprezadas pelos novos donos das refinarias Petrobras – sobretudo se os compradores deixarem de produzir combustível para focar na produção de algum derivado que considerarem mais lucrativo.

O abastecimento de gás de cozinha também será afetado: 40% da operação de importação do produto é feita pelas refinarias, que atuam de forma complementar. Se forem privatizadas, a integração será quebrada, e diversas regiões ficarão desabastecidas, especialmente no Norte e no Nordeste do país.

  1. Monopólios privados

As refinarias da Petrobras foram instaladas para gerar desenvolvimento regional, e não concorrência. Desta forma, caso privatizadas, elas formarão monopólios privados em suas respectivas regiões. Sem competição, os novos donos terão um poder de influência gigantesco sobre a população – especialmente sem as diversas estruturas de fiscalização e transparência que monitoram as empresas públicas.

  1. Aumento de preços

O desabastecimento, a criação de monopólios privados, a falta de concorrência, e a logística de transporte e distribuição dos refinados tornará tudo mais caro. Mas, principalmente, a expectativa pelo fluxo de caixa: a privatização das refinarias visa o lucro, e ele sairá do bolso dos brasileiros.

 

Privatizar não é bom para o povo

A ideia de vender as refinarias da Petrobras para aumentar a competitividade e baratear o combustível é falsa. E tudo piora com o grande risco de desabastecimento de determinadas regiões do Brasil.

O Governo Federal deve atuar pela preservação do bem-estar do povo, e não do capital privado. Manter as refinarias estatatizadas e integradas é fundamental para o desenvolvimento de um país tão grande como o nosso.

 

Compartilhe a nossa campanha no Facebook

Siga-nos no Instagram

 

Passado, Presente e Futuro: A Petrobras é tudo isso e muito mais

Por que o governo está levando a Petrobras na contramão do mundo?
Por que o governo está levando a Petrobras na contramão do mundo?
O atual governo está conduzindo a Petrobras na contramão dos países mais desenvolvidos. Enquanto governos mais inteligentes e que também são detentores da exploração de petróleo em larga escala estão...
Concurso é a porta de entrada para a Petrobras e melhor arma contra a corrupção
Concurso é a porta de entrada para a Petrobras e melhor arma contra a corrupção
Para poder se tornar funcionário do quadro efetivo da Petrobras, só há uma maneira: concurso público. Os concursos da Petrobras estão entre os mais difíceis do Brasil e os mais...
Política de preços dos combustíveis que desencadeou greve dos caminhoneiros em 2018 segue intacta
Política de preços dos combustíveis que desencadeou greve dos caminhoneiros em 2018 segue intacta
Em maio de 2018, caminhoneiros em todo o Brasil fizeram uma greve de 11 dias. Entre as reivindicações dos grevistas, estava a redução do preço do diesel, que elevava o...