A indústria naval brasileira crescia para estar entre as maiores do mundo. O que aconteceu?

indústria naval brasileira

Não se pode esquecer do mal que os últimos governos causaram à indústria naval brasileira.

Temer e Bolsonaro permitiram que um mercado de 84 mil empregos diretos no país fosse esfacelado.

Hoje, nossos estaleiros estão praticamente sucateados, enquanto obras que geravam emprego e renda no Brasil são executadas na Ásia.

Estima-se que 60 mil postos de trabalho foram extintos na indústria naval desde 2016.

Hoje a indústria naval é deficitária. Além disso, dos 40 estaleiros brasileiros, 12 estão parados e os outros estão precarizados, trabalhando abaixo da capacidade, sem clientes e encomendas.

Se tem um setor que sente saudade do período da descoberta do Pré-sal, é o da indústria naval.

O governo Lula chegou a financiar 90% dos projetos no setor com o Fundo de Marinha Mercante (FMM):

:: Esse fundo desembolsou R$ 45 bi desde 2007;

:: O FMM, por meio do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e demais bancos públicos e privados, financiaram o setor até 2014;

:: Neste período a indústria naval chegou a empregar 82 mil pessoas.

 

Em detalhes: indústria naval hoje

O fato é que a indústria naval desmoronou.

Hoje a política da Petrobrás e da Agência Nacional do Petróleo (ANP) tem o objetivo de reduzir as construções de plataformas ou grande embarcações no Brasil.

Além disso…

:: A japonesa Kawasaki, com 82% das obras do seu estaleiro concluídas, está parada e em recuperação extrajudicial;

:: Estaleiros que ainda operam, atendem apenas à construção de embarcações fluviais (barcaças, ou de transporte de passageiros);

:: A indústria voltada para a construção de plataformas e navios offshore (alto mar) está praticamente abandonada;

:: Outro exemplo: em 2013, o estaleiro do município de Rio Grande (RS) empregava 24 mil pessoas, hoje, não chega a 5 mil o número de trabalhadores;

Foi-se o tempo em que o Brasil crescia para se tornar um grande líder na indústria naval mundial!

:: Punem um setor estratégico ao destruir o Sistema da Petrobras, paralisar obras e transferir renda e empregos para a Ásia.

A indústria naval já movimentou cadeias econômicas nacionais e locais. Manteve a saúde financeira de muitos municípios brasileiros!

Mas ela só voltará a ser forte se houver uma visão da Petrobras como ferramenta essencial para o desenvolvimento econômico e social do Brasil (coisa que está bem longe de acontecer no atual governo).

Só assim para ela voltar a promover o desenvolvimento da engenharia nacional, inovar e renovar a tecnologia brasileira, além de gerar empregos e qualificar profissionais do setor.

Veja também Petrobras: será ela a última desbravadora de novas fronteiras?

 

Compartilhe a nossa campanha no Facebook

Siga-nos no Instagram

 

Passado, Presente e Futuro: A Petrobras é tudo isso e muito mais

Privatizar as refinarias da Petrobras geraria mais competitividade? Não é bem assim!
Privatizar as refinarias da Petrobras geraria mais competitividade? Não é bem assim!
O Governo Federal quer privatizar as refinarias da Petrobras, e tenta convencer a população de que é algo bom. Cuidado para não cair no conto do açúcar refinado! “Conto do...
Não há monopólio do petróleo no Brasil desde 1997
Não há monopólio do petróleo no Brasil desde 1997
Uma coisa que muita gente talvez não saiba é que a produção e comercialização de derivados de petróleo deixaram de ser monopólio estatal em 1997, com a revogação da Lei...
9 fatos que comprovam que a Petrobras está deixando de ser uma empresa integrada
9 fatos que comprovam que a Petrobras está deixando de ser uma empresa integrada
As principais empresas petrolíferas do mundo vão muito além da extração: é também refino, distribuição do petróleo e derivados, busca por novas fontes energéticas e diversificação de atividades. Integrar essas...