P 70 plataforma da Petrobras: morte em alto mar e o fim da indústria naval brasileira

Plataforma da Petrobras

Uma tragédia aconteceu a bordo da P-70, plataforma da Petrobras que saiu de um estaleiro chinês rumo ao Brasil para operar no Pré-sal.

Você não leu errado, as plataformas brasileiras, após o Governo Federal acabar com a indústria naval, agora são construídas na Ásia.

Sim, o Brasil gera emprego, renda e arrecadação em outros países.

Mas voltando à P 70, uma empresa terceirizada, Boskalis, acabou noticiando que um dos seus funcionários morreu e outros cinco foram internados em um hospital na África.

 

Mas o que isso tem de ligação com a Petrobras?

Trata-se de um exemplo de como trabalhadores da indústria naval tiveram suas vidas ceifadas após o desinvestimento do setor no Brasil.

Imagine se a plataforma fosse construída, como era anos atrás, em território nacional. Será que essa tragédia teria acontecido?

Provavelmente não. Pois o tempo de deslocamento de um estaleiro nacional para uma área do Pré-sal, também em águas nacionais, é infinitamente menor se comparado à viagem da China.

Apesar do exemplo ser mórbido, essa questão resgata outra tragédia, mais precisamente no estado do Paraná.

Lá, acorreu uma ação desastrosa da Petrobras, quando parou o setor da indústria naval que empregada milhares de trabalhadores.

 

Caso Pontal do Paraná

Localizado no litoral paranaense, o estaleiro foi um projeto orçado inicialmente de US$ 889 milhões e que empregou mais 5 mil pessoas, tanto de municípios paranaenses como de outros estados.

Em 2017, depois de uma decisão política, o Governo Federal decidiu levar as construções de plataformas, como a P 70, para a China.

Como consequência, 5 mil pessoas de forma direta e outros milhares de forma indireta perderam seus postos de trabalho.

É preciso entender que esse processo de desindustrialização de um país tem consequências trágicas como o desemprego, a redução da renda dos trabalhadores e empregos precarizados, além no impacto da economia regional.

Em Pontal do Paraná, dos 20 módulos de plataformas, 15 foram executados no Brasil, com 71% de conteúdo local e de qualidade.

A P-76, por exemplo, é utilizada para a cessão onerosa de Búzios 3, no Pré-sal, com capacidade de produção de 150 mil barris de petróleo/dia.

 

Nacionalismo?

Apesar do Governo Federal falar insistentemente em patriotismo, a política atual de desinvestimento, com a gestão da Petrobras preferindo gerar renda na Ásia em vez de aquecer a indústria nacional, foge do real nacionalismo.

Até porque, quem defende uma nação soberana, também apoia o desenvolvimento de projetos nacionais e de conteúdo local, com tecnologia comprovadamente de qualidade.

O que era para ser motivo de orgulho na Petrobras, devido à capacidade de execução de grandes projetos, agora não acontece mais.

Se o Governo Federal não acredita no Brasil e no brasileiro, que somos capazes de contribuir para o desenvolvimento industrial, o que dizer?

Dá para chamar essa política atual no Brasil de muitas coisas, menos de nacionalista, porque isso ela não é.

Veja também Atual política do governo para a Petrobras deixa o Brasil desprotegido

 

P 70 plataforma da Petrobras: morte em alto mar e o fim da indústria naval brasileira

Compartilhe a nossa campanha no Facebook

Siga-nos no Instagram

Passado, Presente e Futuro: A Petrobras é tudo isso e muito mais

Governo quer deixar a Petrobras banguela!
Governo quer deixar a Petrobras banguela!
A já anunciada intenção do governo federal de vender 8 refinarias da Petrobras é de uma perversidade muito grande com a empresa e com todos os brasileiros. É deixar a...
Atuação responsável: 10 compromissos da Petrobras com o nosso futuro
Atuação responsável: 10 compromissos da Petrobras com o nosso futuro
🌍 Por ser estatal, a Petrobras se movimenta para garantir mudanças importantes para as próximas gerações de brasileiros. 📝 Ela sabe que um futuro mais sustentável é um sonho compartilhado...
Queda da indústria naval transforma estaleiros em cemitérios de navios
Queda da indústria naval transforma estaleiros em cemitérios de navios
Os efeitos da política de entrega das grandes estatais brasileiras têm reflexos em vários segmentos. O enfraquecimento de empresas lucrativas como a Petrobras gera reflexos muito negativos. Consequentemente, prejudica a...