Prejuízos da Lava Jato: a operação que fez o Brasil perder R$ 172 bilhões em investimentos

Antes de mais nada, vamos deixar claro que não se trata de defender ou não medidas de combate à corrupção. É óbvio que é preciso enfrentar esse mal.

Mas o que queremos discutir nesse artigo é como a Operação Lava Jato, que recuperou R$ 4,3 bilhões – de acordo com o Ministério Público Federal (MPF) -, fez o Brasil perder R$ 172 bilhões em investimentos ao mesmo tempo.

Segundo estudo do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), divulgado em março de 2021, a irresponsabilidade da operação jogou 4,4 milhões de brasileiros no desemprego (dos mais variados setores), sendo 1,1 milhão somente da construção civil – o setor mais afetado (e que era um dois mais importantes do país).

 

Outros prejuízos

Por causa da Lava Jato, o Brasil perdeu R$ 47,4 bilhões em impostos diretos, R$ 20,3 bilhões em contribuições sobre a folha de salários (prejudicando, principalmente, a Previdência Social), e R$ 8,8 bilhões em massa salarial (impactando também todo o setor de comércio e serviços).

A forma espalhafatosa como a operação foi conduzida fez o país perder cerca de 40 vezes mais do que o Ministério Público Federal diz ter recuperado com a operação. Não é lá uma conta muito inteligente.

Pois é: a investigação que dizia que iria combater a corrupção na maior empresa do Brasil se mostrou uma ferramenta de entrega da soberania nacional, perseguição política e projeto de poder que colaborou para colocar Jair Bolsonaro na presidência da República (ou seja, é responsável pelo caos que tomou conta do país logo depois).

Apoiada cegamente pela velha mídia, interessada na privatização da Petrobras (tanto por interesses econômicos próprios como de seus anunciantes/patrocinadores), a operação vazava livremente informações que lhes interessavam quando queria interferir na vida política do país, distorcia fatos, fazia acusações sem provas e destruía reputações.

Dizendo que combatia o crime, adotou métodos criminosos.

Relembre, a seguir, o que foi a Operação Lava Jato e sua participação no desmonte da Petrobras, que culminou no enfraquecimento e no empobrecimento do país nas mais diversas áreas.

 

Lava Jato x Petrobras

A Operação Lava Jato chegou à Petrobras em 2014 para investigar indícios de esquemas de corrupção entre políticos, empreiteiras, fornecedores, agentes de lavagem de dinheiro e altos escalões da estatal.

Contudo, conforme revelado nas mensagens da Vaza Jato e pela Operação Spoofing, a Lava Jato foi usada com fins políticos e econômicos para desestabilizar o governo da época e destruir a companhia estatal.

E não é preciso ser da esquerda ou da direita política para chegar a essa conclusão. Basta ter equilíbrio e refletir: se um crime é cometido, quem o comete não é uma empresa, mas sim pessoas.

Logo, a Lava Jato não deveria apurar as denúncias de corrupção expondo empresas de forma espetaculosa, nem ameaçando o futuro delas e de seus funcionários.

Em países mais desenvolvidos, quando há grandes investigações, punem-se os culpados (mesmo se forem fundadores) mas preservam-se as empresas ou os setores econômicos. Parece óbvio, mas não foi isso que aconteceu no Brasil.

A operação abalou a imagem da Petrobras, prejudicou obras e contratos (que foram paralisados), cortou 23 empresas dentre os fornecedores da estatal e colocou centenas de milhares de trabalhadores de empresas terceirizadas no olho da rua, quebrando uma imensa cadeia econômica.

A partir daí, a participação do setor de óleo e gás no produto interno bruto (PIB) brasileiro (que já foi de 13%) encolheu, e a Petrobras, que nunca esteve quebrada, teve seu papel diminuído na economia nacional.

 

Gangue

Depois de tudo isso, o Brasil descobriu que o juiz do caso atuou politicamente desde o começo, extrapolou os limites da lei e da Constituição, coordenava as operações, direcionava as investigações, dava dicas de nomes e procedimentos, adiantava processos e pressionava outras autoridades. Era, na verdade, o líder do agrupamento de procuradores que agiam como uma verdadeira gangue.

Além disso, o próprio juiz perseguiu e condenou um adversário político, facilitando a vitória de Bolsonaro para logo em seguida assumir um ministério no novo governo. É como se um juiz de futebol inventasse vários pênaltis a favor de um determinado time em uma final de campeonato para, no dia seguinte, virar dirigente desse mesmo time.

Ao mesmo tempo, membros dessa organização tentaram se aproveitar para criar uma fundação que utilizaria alguns dos bilhões recuperados para pagar palestras para eles próprios, a preço de ouro. Pior: a tal fundação seria criada em nome de suas esposas, que seriam as “laranjas” da organização (já que os próprios procuradores eram impedidos por lei).

Desse modo, a Lava Jato teve relação direta com a mudança do modelo econômico e social que vivemos hoje, porque serviu a interesses do capital estrangeiro e ao projeto político do atual governo, responsável pelo maior desastre humano e econômico da história do Brasil.

E o mais contraditório é que a operação que fingiu que “limparia o Brasil” foi fundamental para a vitória de corruptos (bastante chegados em “rachadinhas” de salários) que, no final, ainda desmantelaram a operação antes que ela começasse a investigar outros agrupamentos políticos (que fazem parte do novo governo).

Você pode saber mais sobre os estragos da Operação Lava Jato clicando aqui.

 

Compartilhe a nossa campanha no Facebook

Siga-nos no Instagram

Passado, Presente e Futuro: A Petrobras é tudo isso e muito mais

A Petrobras é fundamental para o PIB do Brasil
A Petrobras é fundamental para o PIB do Brasil
Em 2020, o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil despencou. E, com ele, o poder de compra do povo. Talvez você não saiba, mas foi o setor de petróleo e...
Sem refinarias da Petrobras, o preço dos combustíveis vai subir e os brasileiros pagarão muito caro
Sem refinarias da Petrobras, o preço dos combustíveis vai subir e os brasileiros pagarão muito caro
Ao reduzir de 95% para 60% a capacidade de refino no Brasil, o Governo Federal deixou claro que a política de desinvestimento praticada pelo Ministro da Economia, Paulo Guedes, piora...
Mais de 1.400 serviços públicos foram criados ou reestatizados por países desenvolvidos (você vai se surpreender com o 2º país)
Mais de 1.400 serviços públicos foram criados ou reestatizados por países desenvolvidos (você vai se surpreender com o 2º país)
Quem pretende lucrar com a privatização da Petrobras e de outras empresas públicas espalha a mentira de que a iniciativa privada irá oferecer serviços melhores e mais baratos. Aí tentam...