Privatização aumenta terceirização, que aumenta acidentes

Terceirização não rima com segurança, mas rima com privatização.

Se a Petrobras for privatizada (inteira ou em partes), as terceirizações irão aumentar e, com isso, a quantidade de acidentes de trabalho e os impactos ambientais.

Por escolha do governo, a Petrobras tem aumentado o nível de terceirização de atividades em algumas áreas. E esses trabalhadores correm risco cinco vezes maior de morte por acidente de trabalho, pois geralmente não receberam o treinamento adequado para desempenhar a função para a qual foram contratados (há muitas atividades de risco).

A lógica das empresas privadas é buscar o aumento do lucro (muitas vezes, a qualquer custo). Para isso, muitas optam por reduzir as medidas preventivas ou de segurança.

Isso pôde ser observado com os acidentes causados pela Vale (empresa que foi privatizada em 1997) em Mariana e em Brumadinho, ambas cidades mineiras, quando centenas de pessoas perderam a vida após o rompimento de barragens de resíduos. Cerca de metade dos trabalhadores mortos eram terceirizados.

Geralmente a empresa que contrata os serviços tenta ao máximo se eximir da responsabilidade com os trabalhadores registrados em outra.

Não são raros os casos de sobrecarga de trabalho, com atividades que depois da privatização passaram a ser conduzidas com 10% da força de trabalho empregada anteriormente, resultado em cansaço extremo, desatenção e muito mais riscos de acidentes trágicos.

O mesmo pode ocorrer com a Petrobras se ela for privatizada. Com um corpo reduzido de trabalhadores, a maioria ficaria sobrecarregada, atuando em áreas de alto risco (como quase tudo relacionado a petróleo). Acidentes serão mais frequentes e os efeitos para a população e também para o meio-ambiente serão imensos. É o lucro pelo lucro engolindo vidas e sonhos.

Para impedir que isso aconteça, a Petrobras precisa se manter estatal, priorizar o quadro próprio, fazer concursos, treinar, capacitar e investir em qualificação. É pela segurança dos trabalhadores, é pela natureza, é pelo Brasil.

 

 

Compartilhe a nossa campanha no Facebook

Siga-nos no Instagram

Passado, Presente e Futuro: A Petrobras é tudo isso e muito mais

Não há monopólio do petróleo no Brasil desde 1997
Não há monopólio do petróleo no Brasil desde 1997
Uma coisa que muita gente talvez não saiba é que a produção e comercialização de derivados de petróleo deixaram de ser monopólio estatal em 1997, com a revogação da Lei...
Vender as refinarias da Petrobras é acabar com empregos na indústria brasileira
Vender as refinarias da Petrobras é acabar com empregos na indústria brasileira
A Petrobras foi criada para ser uma empresa “do poço ao posto”, e as refinarias cumpriram uma imensa contribuição ao país na produção de combustíveis, dentro de um projeto de...
Como a Lava Jato foi usada para quebrar a Petrobras
Como a Lava Jato foi usada para quebrar a Petrobras
Em 2014, a Operação Lava Jato chegou à Petrobras para investigar indícios de esquemas de corrupção que supostamente envolveriam empreiteiras, fornecedores, políticos, agentes de lavagem de dinheiro e altos escalões...